Sarau de Artes, Letras e Tretas!


  Eterno regresso Ah, quando nasci, Deram-me por berço Uma terra Coberta de serras Penedos tersos Urze, mato florido Um olival desmedido Onde faziam fogueiras. Veredas lajeadas Cobertas de carvalhos velhos E árvores fantasiadas Pintadas de frescos verdes Habitadas por mouras encantadas… Tinha uma trotineta vermelha Vinda de França, Era um Pégaso a percorrer distâncias!Continue a ler “Sarau de Artes, Letras e Tretas!”