Querida Mãe,


Querida Mãe, És a flor que me deu vida. Em novembro, quando me colocaste na tua barriga, sentia-me como um rei no seu palácio. O teu corpo parecia uma cidade gigante, em que todos eram meus amigos. Durante a noite, o teu coração embalava-me para poder dormir. Chegando a agosto, vi a tua cara adormecida.Continue a ler “Querida Mãe,”